‘’O Empreendedorismo Feminino’’ – Por Luciana Messala

em 1934, com a promulgação da proteção ao trabalho da mulher bem como a garantia do direito ao voto feminino!

No nosso país, esse viés político foi de grande importância pois éramos impedidas de votar, de trabalhar e de assumir responsabilidades comuns de um cidadão. E, hoje,  nota-se o grande significado dessa conquista,  uma vez que o empreendedorismo feminino intensificou-se de modo significativo , que nos últimos dez anos, atingimos patamares majoritários de representatividade feminina no processo do empreendedorismo  brasileiro . De acordo com as análises do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), as mulheres são maioria da população no Brasil (51,4%) e correspondem a 52,2% dos empreendedores do País.

É claro que nem tudo são flores nessa trajetória, a empreendedora brasileira teve que buscar profissionalização, investir em capacitações, trabalhar a gestão da empresa, sua marca, seu produto e superar as dificuldades gerenciais e administrativas impostas no dia-a-dia.

É também inevitável que algumas mudanças de comportamento na sociedade se fazem fundamentais para que as mulheres sejam incorporadas de forma mais assertiva na cultura organizacional das empresas.

E, no caminho de inserir dicas para o crescimento profissional e organizacional classifico a empatia como o passo mais importante para qualquer atividade seja na área da inovação ou da gestão e ainda destaco a importância de pertencimento a grupos que fortalecem e aceleram o processo de desenvolvimento feminino.

lucianaPor Luciana Messala, Graduada em Arquitetura na PUC – GO, pós-graduada em Gestão de Empresas, Professora de Pós-graduação na Faculdade Araguaia Head Sales na Blue Lion Arte & Investimento.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *